10 lugares gratuitos para conhecer em um dia em Gramado


10 lugares gratuitos para conhecer em um dia em Gramado

Todos já sabemos que a região é voltada ao turismo e possui uma fama de ter um valor alto para uma viagem em família. De qualquer forma, como qualquer outro local, há opções para usufruir o melhor sem gastar tanto.

Separamos alguns locais que são imperdíveis e que irão render belas fotografias.

Avenida Borges de Medeiros

Os canteiros, flores e calçadas limpas fazem da rua principal um ponto turístico a ser lembrado pelos visitantes sempre que comentam nas suas redes os lugares mais lindos a se visitar.

Olhando ao redor, os prédios em estilo bávaro, com formas simétricas, lembrando as construções de vilarejos europeus fazem parte do cartão de entrada da cidade.

Praça das bandeiras - Kikito

Ponto obrigatório para tirar aquela foto de lembrança em Gramado, a Estátua do Kikito que é uma réplica do símbolo do cobiçado troféu entregue aos destaques do Festival de Cinema de Gramado.

O Kikito representa o “Deus do Bom Humor”, conforme idealizado pela artista plástica gramadense Elizabeth Rosenfeld, na década de 1960. A forma que o personagem tem hoje é resultado de um concurso de artesãos realizado na época de sua criação.

Logo atrás da estátua, está a Rótula das Bandeiras, um canteiro com as bandeiras de todos os estados brasileiros rodeadas de belíssimas flores que fazem parte da paisagem de entrada da cidade.

Falando em Kikito, temos também o famoso Palácio dos Festivais, onde acontece nosso famoso Festival de Cinema.

Localizado bem no centro de Gramado, o local é ponto obrigatório de visitação aos adoradores do cinema, com um Museu próprio que guarda o acervo histórico do evento que mais alavancou Gramado como capital do cinema brasileiro.

O nome original é Cine embaixador e em períodos de baixa temporada disponibiliza filmes como entretenimento aos moradores da cidade.

Em período de Natal Luz, o lugar é palco para um dos mais lindos espetáculos, o acendimento das luzes.

Em frente a ele temos a nossa famosa Rua Coberta, que é local preferido para os dias de chuva, pois possui lojas, farmácia, restaurantes e chocolateiras.

Com cerca de 100 metros de extensão, também é ponto obrigatório de acontecimentos voltados aos eventos que ocorrem na cidade, como exemplo a páscoa, o natal, gramado aleluia, gramado in concert, entre outras programações paralelas ou particulares.

 

Praça das Etnias

Esse local é uma celebração à diversidade dos povos que colonizaram Gramado. Por lá, há três casas construídas: uma no estilo português, uma no italiano e outra no alemão (a Casa do Colono, que vende comidas típicas alemãs e lembranças). A praça é bem movimentada, principalmente por estar ao lado da rodoviária de Gramado.

Você pode se sentar por ali e sentir o clima da cidade, fotografar as casinhas ou até mesmo fazer um lanche na Casa do Colono, que fica aberta em dias específicos na baixa temporada e na alta todos os dias o dia todo. Mas atenção, porque lá só aceita pagamento em dinheiro.

Aos sábados, há uma feirinha com produtos artesanais e comidas típicas da região. Uma dica é experimentar a cuca de uva saindo do forno ou o famoso pãozinho de linguiça.

Em frente a praça, temos a nossa linda e florida Rua Torta, que é uma réplica da famosa Lombard Street, em San Francisco.

A Rua Torta em Gramado tem esse formato porque foi a maneira encontrada para eliminar uma escadaria que levava ao topo e, assim, possibilitar o trânsito de carros. Hoje, se tornou um disputado passeio gratuito na cidade e é difícil ir até lá e encontra-la sem alguém na tentativa de uma foto perfeita.

No início da Rua Torta, está a casa do Major Nicoletti (rua Emilio Sorgetz, 120), fundador do município de Gramado, em 1954.

Igreja São Pedro

Antigamente era uma capela de madeira, mas desde 1940 começou a construção que deu a sua atual fachada.

A Igreja de São Pedro é formada por mais de 70 mil pedras basálticas, as pinturas nos vitrais retratam a vida do apóstolo Pedro ao lado de Jesus Cristo, o sino, que pesa uma tonelada, é controlado eletronicamente, o que dá um contraste do moderno com o tradicional.

Além de contemplar a beleza dessa igreja, você pode entrar e conferir os adornos internos, tirar uma fotografia, fazer uma prece ou até mesmo participar de uma missa (programação abaixo).

Segundas à sextas: às 18h30
Sábados: às 18h
Domingos: às 8h, às 10h30 e às 18h30
*Durante os meses de janeiro e fevereiro as missas nas capelas ocorrem em finais de semanas alternados.

Fonte do Amor Eterno

Escondida ao lado da Igreja, temos a Fonte do amor eterno, também inspirada na Fontana Di Trevi que fica em Roma e é uma das maiores da Itália.

Para quem não sabe, é a maior (cerca de 26 metros de altura e 20 metros de largura) e mais ambiciosa construção de fontes barrocas da Itália e está localizada no rione Trevi, em Roma. A fonte está encostada na fachada do Palazzo Poli.

Lá existe a tradição de atirar uma moeda para a fonte para a realização de um desejo. Por aqui a tradição é outra, a superstição é colocar cadeados com os nomes do casal gravados em uma chapinha de metal e jogar a chave dentro da fonte, realizando assim a eternização do amor. Ao lado da fonte é possível adquirir o kit nas lojinhas.

Lago Negro

Não é a toa que Gramado é chamada de Europa do Brasil, não é mesmo?! Se você ainda não ouviu e constatou esse ditado, é porque ainda não visitou a cidade.

O ar romântico do lago negro é encantador, uma caminhada, um delicioso chimarrão ou até mesmo um passeio de pedalinhos fazem parte da visitação no local.

Criado artificialmente para preservar o local após um trágico incêndio na década de 1940. É esse lago que você verá em ensaios, cartões postais, sites e revistas com textos extensos contando sobre passeio turístico na cidade.

Os famosos pedalinhos em forma de cisne ou caravela estão disponíveis sempre até às 18 horas e custam de R$40 a R$50 reais para 20 minutos.

Fábrica de Chocolate

Uma das opções também é conhecer a fabricação do famoso chocolate artesanal de Gramado. Que é opção de presente para toda família quando o assunto é viajar para a Serra Gaúcha.

Recentemente apenas cinco das dezenove chocolatarias de Gramado receberam um selo para devida utilização de nome “chocolate artesanal de Gramado”, dentre as marcas escolhidas temos a Prawer, que foi a primeira empresa a iniciar no ramo e tornou-se a responsável por tornar a região reconhecida pela produção do chocolate artesanal.

Foi em 1975 que James Prawer viajou para Bariloche e resolveu aprender mais sobre a produção do doce. Foi a semelhança de Gramado com o destino argentino que fez o empreendedor escolher a cidade como sede de sua primeira fábrica.

As criações foram evoluindo e hoje e outras empresas chocolateiras se instalaram aqui tanto para produção do chocolate quando para inovação em entretenimento.




Por
22/02/2020

Meu nome é Mônica, e para falar de mim é necessário falar de viagens.

Sou apaixonada por Turismo de experiência e carrego comigo algumas lições destes longos anos que trabalhei na área.

Tenho em mim uma vontade intrínseca em fazer a diferença na vida de quem sonha viajar.

Residente de Gramado, sou turismóloga e técnica em hotelaria e eventos. Estudo diversos cursos e assuntos online e estou sempre em constante aprendizado.

Busco divulgar através de minhas experiências o que acontece na região mais amada do Brasil.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!